Síndrome do Pânico

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade que pode surgir ao longo do tempo. Em geral, nela ocorrem crises inesperadas de desespero e medo profundo de que algo ruim aconteça. Assim, aparece mesmo que não haja algum motivo para isso.

Quem sofre da doença apresenta situações de medo agudo e constante. Logo, além dos momentos de tensão há uma preocupação persistente. Portanto, o indivíduo sempre tem receio de ter novos ataques, dificultando o dia a dia.

O que causa síndrome do pânico

As causas exatas do problema não são conhecidas. Mas alguns fatores que podem desencadear os sintomas são:

  • Genética;
  • Situação de estresse;
  • Personalidade;
  • Mudanças traumáticas em sua vida.

Certos estudos indicam que a resposta natural do corpo em situações de perigo é gerar medo. Mas, ainda não há um motivo claro pelos quais as pessoas sofram esse transtorno. Principalmente, porque não acontecem apenas nessas circunstâncias.

Fatores de risco

A síndrome do pânico geralmente tende a se manifestar na fase final da adolescência. Porém, existem indícios de que ela pode acontecer em qualquer época de sua vida. Assim, pode afetar todos os gêneros e ser desencadeadas por fatores como:

  • Estresse extremo;
  • Morte ou adoecimento de alguém próximo;
  • Mudanças radicais em sua vida;
  • Abusos ao longo de sua existência;
  • Alguma experiência traumática a seu físico ou psicológico.

Sintomas de síndrome de pânico

Em geral, a síndrome do pânico acontece de repente, não havendo um motivo que possa desencadeá-lo. Logo, pode surgir em qualquer período do dia e situação.

As crises costumam durar entre 10 a 20 minutos. Mas, pode variar dependendo da pessoa e da intensidade do ataque. Por isso, é importante ficar atento aos sintomas que gera, para que possa identificá-lo.

Os principais são:

  • Medo de perder o controle;
  • Temor de algo ruim acontecer;
  • Calafrios;
  • Sensação de perigo iminente;
  • Tremores;
  • Ondas de calor;
  • Falta de ar e sufocamento;
  • Dormência e formigamento nas extremidades do corpo;
  • Indiferença;
  • Suor;
  • Dor abdominal;
  • Hiperventilação;
  • Sentir-se fora da realidade;
  • Dor de cabeça;
  • Palpitações, ritmo cardíaco acelerado e taquicardia;
  • Náusea;
  • Tontura;
  • Dores no peito e desconforto;

Durante a síndrome do pânico o paciente tem um medo irracional. Assim, esse temor pode fazer com que a pessoa acabe criando um isolamento social. Dessa forma, pode gerar quadros ainda mais graves no psicológico.

Fora isso, os indivíduos podem despertar problemas mais graves em seu comportamento como:

  • Alcoolismo;
  • Depressão;
  • Abuso de drogas.

Buscando ajuda médica

Caso você tenha alguns desses sintomas típicos da síndrome do pânico procure uma ajuda médica. Já que, é impossível se autodiagnosticar como alguém que possua o transtorno sem o auxílio de um médico ou psicóloga.

Os ataques são difíceis de controlar por conta própria e podem piorar se não houver acompanhamento. Assim, é necessário receber o tratamento adequado, que só pode ser definido por um especialista.

Depois de todas essas informações, se você acredita estar passando por isso, marque uma consulta com uma Psicóloga em Petrópolis.

Portanto, não deixe de cuidar da sua saúde, especialmente a mental.

VEJA ONDE ATENDO COMO PSICÓLOGA EM PETRÓPOLIS

WhatsApp chat